HomeLista de Teses >  [MUNICIPALIZACAO DA SAUDE EM VITORIA-ES: UMA EXPERI...]


 

Oliosa, Durvalina Maria Sesari. Municipalização da saúde em Vitória-ES: uma experiência participativa. [Mestrado] Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 1999. 139 p.

APÊNDICE 1: Caracterização dos entrevistados

01

Fem.

16/04/98.

Chefe do Núcleo de Planejamento da Secretaria Municipal de Saúde de Vitória. Funcionária pública municipal efetiva. Enfermeira sanitarista com especialização em planejamento pelo Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva da UFMG e pela Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (ENSP-FIOCRUZ). Mestre em Saúde Coletiva na área de Planejamento, Política e Administração de Saúde, pelo Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Assumiu, como cargo comissionado, o Setor de Planejamento da Secretaria Municipal de Saúde de Vitória, no início de 1996, após ter retornado do mestrado. "Nossa meta é trabalhar com o planejamento ascendente". É moradora de Vitória e não é filiada a partido político.

02

Masc.

22/04/98.

01-U - Representante dos usuários no CMS-V, pela terceira vez. Foi indicado pela diretoria da associação de moradores de seu bairro, da qual hoje é membro do conselho fiscal. De 92 a 96 foi presidente de associação de moradores, e hoje ocupa o cargo de diretor de meio ambiente no Conselho Popular de Vitória. Participou da II Conferência Municipal de Saúde em 96. É representante da comunidade em mais outros quatro Conselhos Setoriais na prefeitura. Embora seja aposentado pela iniciativa privada, ocupa cargo de confiança na Secretaria Municipal de Ação Social de Vitória. Tem segundo grau completo. É filiado ao PSDB.

03

Masc.

22/04/98.

01-U - Representante do usuários no CMS-V. Está em seu segundo mandato, apesar de, no primeiro, ter representado o segmento dos profissionais de saúde, em virtude de ser funcionário público municipal. Ocupa a função de auxiliar de serviços gerais, lotado na Secretaria Municipal de Saúde. Atualmente é cargo de confiança em uma das sete Regionais Administrativas da prefeitura. Membro fundador e participante da associação de moradores de seu bairro desde 1982. No CPV é diretor de saúde. Participou da I e II Conferência Municipal de Saúde de Vitória; na 3ª Plenária de Saúde em Brasília e; recentemente participou, representando os usuários, do II Encontro Nacional de Conselheiros em Brasília (realizado em junho de 1998). Foi eleito pela comunidade para integrar o Conselho Municipal de Segurança Pública. Tem segundo grau completo. Já foi candidato a vereador em 1988, não conseguindo conquistar a vaga. É filiado ao PSDB.

04

Fem.

24/04/98.

Técnico responsável pelo grupo de discussão "Participação e Controle Social". Funcionária pública municipal, efetiva na função de Assistente Social. Apesar de não ter "nenhuma formação extra na área de planejamento, planejamento estratégico", exerce suas funções junto ao Setor de Planejamento, onde coordenou, informalmente, o grupo de "Discussão, Participação e Controle Social" durante o período de sua existência efetiva, isto é, de junho a novembro/dezembro de 1997. "O grupo de participação social, se ele não acabou, ele está em banho-maria." É moradora de Vitória e não tem nenhuma vinculação partidária.

05

Fem.

29/04/98.

03-U - Representante dos usuários no CMSV, eleita para o mandato vigente. Indicada pela Pastoral da Saúde. "A minha participação é apenas na Pastoral da Saúde. Eu não participo de movimentos organizados." Sua participação em eventos da Saúde até agora esta relacionada aos patrocinados pela própria Igreja. Tem terceiro grau completo. É aposentada. Não participa de nenhum outro conselho e não é filiada a nenhum partido político.

06

Masc.

05/05/98.

Atual secretário municipal de saúde de Vitória, nomeado em 07 março de 1994, pelo governo do PSDB. É médico efetivo do quadro de funcionários da municipalidade. Fez residência em Medicina Geral Comunitária. Antes de assumir como secretário, além do vínculo com a prefeitura, trabalhava com medicina intensiva, cardiologia e medicina esportiva. Quando universitário, participou intensamente e de forma clandestina no "Partidão" e no movimento estudantil. Também participou do PMDB jovem. Depois de formado foi membro da diretoria do Sindicato dos Médicos e, mais recentemente da diretoria da Sociedade Espírito-santense de Medicina Esportiva. Participa do CONASEMS, do COSEMS e da CIB. Do primeiro colegiado já foi diretor, no segundo é o presidente e da terceira é membro nato. É morador de Vitória e filiado a partido político.

 

07

Masc.

06/05/98.

Presidente do Conselho Popular de Vitória - CPV, pela segunda vez consecutiva. É militante do movimento popular de Vitória desde 1965 e morador da comunidade Ilha de Santa Maria há 53 anos, onde o movimento teve início. "Na época de 65 ¾ a Revolução foi em 64 ¾ a ditadura militar, a repressão era violentíssima, e nós através de vários professores... vários alunos da Universidade Federal do Espírito Santo nos procuraram aqui na Ilha de Santa Maria, onde nós nem conhecíamos o que era movimento comunitário e nem popular. Então, foi daí que nós iniciamos esta luta." É aposentado e filiado ao PSDB.

08

Fem.

11/05/98.

Chefe da Divisão de Vigilância em Saúde de novembro de 1993 (data da criação da Divisão) a janeiro de 1997. Funcionária pública municipal, concursada na função de médico-sanitarista. Fez residência em Medicina Social e Saúde Pública e especialização em Epidemiologia. Foi representante do governo no terceiro mandato do CMS-V. É moradora do município de Vitória e não é filiada a partido político.

09

Masc.

15/05/98.

04-U - Representante dos usuários no CMSV, há três mandatos consecutivos. É membro de associação de moradores como delegado do Orçamento Popular do município. Foi indicado para participar da eleição para o CMS-V pelo presidente da associação comunitária de seu bairro. Participou da II Conferência Municipal de Saúde de Vitória, fórum que o elegeu para participar da Etapa Estadual de preparação à X Conferência Nacional de Saúde. Participou como representante dos usuários do II Encontro Nacional de Conselheiros, realizado em junho/98 em Brasília. É assessor de parlamentar do PDT na Câmara Municipal de Vitória. Não concluiu o terceiro grau. É filiado ao PT, mas não é militante.

10

Masc.

15/05/98.

05-U - Representante dos usuários no CMS-V, há dois mandatos consecutivos. Iniciou sua trajetória associativa na Igreja Católica. Foi fundador da associação comunitária do Bairro do Rio Branco. Hoje não participa do movimento popular pois encontra-se à disposição da diretoria do sindicato de sua categoria profissional (SINDBORRACHA-ES, iniciativa privada). Foi indicado pela diretoria da associação de moradores de seu bairro para a eleição dos conselheiros de saúde. Participou da II Conferência Municipal de Saúde de Vitória. Tem segundo grau completo. É filiado ao PSDB, não militante.

11

Fem.

29/05/98.

Diretora do Departamento de Administração em Saúde, setor responsável, atualmente, pela coordenação da criação das Comissões/Conselhos Locais de Saúde. Funcionária pública municipal, concursada para a função de enfermeira. Não reside no município de Vitória e não é filiada a nenhum partido político.

12

Masc.

26/06/98.

Secretário municipal de saúde de Vitória na gestão 1989-1992. Funcionário público estadual. É médico, fez curso de especialização em Saúde Pública dado pela ENSP em conjunto com a UFES, no Espírito Santo. Atualmente encontra-se cursando mestrado em Saúde Pública, na subárea de Epidemiologia, na ENSP-FIOCRUZ. Sua trajetória associativa evidencia intensa participação nas lutas pela Saúde, tanto como sindicalista quanto como secretário municipal de saúde. Criou e foi presidente do COSEMS do Espírito Santo; foi vice-presidente do CONASEMS da Região Sudeste; integrou várias comissões formadas pelo Ministério da Saúde; foi delegado na VIII, IX e X Conferência Nacional de Saúde; foi consultor especial e relator de grupos da IX e X Conferência Nacional de Saúde; participou ativamente de todo o movimento pela Reforma Sanitária, lutando pela implantação do Sistema Único de Saúde à época da Constituinte e depois pela sua regulamentação. "Participei ativamente do processo todo, como militante da saúde."

 
 
  Início