HomeLista de Teses >  [CONTRIBUICAO PARA O ESTUDO DAS INTOXICACOES POR CA...]


 

Moraes, Ana Claudia Lopes de. Contribuição para o estudo das intoxicações por carbamatos: o caso do chumbinho no Rio de Janeiro. [Mestrado] Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 1999. 111 p.

2. MATERIAIS E MÉTODOS 

A metodologia inicial de trabalho consistiu de uma vasta revisão bibliográfica da literatura científica, sobre intoxicações por inseticidas inibidores da colinesterase (carbamatos e organofosforados), centralizando-se nos aspectos da intoxicação aguda, apenas fazendo alusão aos aspectos crônicos e tardios das intoxicações. O enfoque principal é dado aos carbamatos. O levantamento foi feito a partir da base de dados MEDLINE. No intuito de demonstrar um perfil epidemiológico destas intoxicações, partiu-se de um levantamento dos casos de intoxicações agudas notificados ao Centro de Controle de Intoxicações do Hospital Universitário Antônio Pedro (CCIn-HUAP-UFF) nos anos de 1995 e 1996, demonstrando a representação do "Chumbinho" nestas, além do levantamento de todas as intoxicações por "Chumbinho" notificadas de janeiro de 1997 a junho de 1999. A partir daí, pode-se observar a importância das intoxicações por "Chumbinho" no quadro da Toxicologia de Urgência do Grande Rio, tomando por base então, as intoxicações notificadas ao CCIn-HUAP-UFF, sejam no próprio Hospital, ou em outras unidades de saúde que tenham notificado algum caso, via telefone.

Posteriormente, partiu-se para um estudo retrospectivo de 40 os casos de indivíduos de ambos os sexos, sem discriminação de idade, que deram entrada na emergência do HUAP, com suspeita de intoxicação por "Chumbinho", selecionados aleatoriamente. Foi elaborada uma ficha de coleta dos dados dos prontuários de atendimento de emergência do Hospital Universitário Antônio Pedro (BE: Boletim de Emergência), privilegiando os aspectos considerados mais importantes para a discussão. A ficha de coleta dos dados pode ser observada no Anexo 2. O grupo foi formado por 40 pacientes, sendo destes, 22 mulheres (55%) e 18 homens (45%). Os pacientes foram identificados pela letra P, seguida de um número. A faixa etária variou entre 01 (um) e 64 anos, sendo melhor discriminada no Capítulo Resultados e Discussão e nos Anexos 3 e 4.

O protocolo de coleta de dados foi montado a fim de se obter dados de identificação da população estudada, divididos em quatro partes: 1) Dados referentes ao indivíduo, como sexo e idade, além das circunstâncias envolvidas (suicídio, acidente, e outros), a via utilizada na intoxicação, e o ambiente (rural/urbano); 2) Dados do comportamento clínico da intoxicação, como sinais e sintomas encontrados e sua freqüência, além do aspecto do líquido do lavado gástrico; 3) Dados referentes ao tratamento efetuado; 4) Alterações laboratoriais encontradas (Anexo 2).

A partir da análise dos dados coletados, pode-se observar que 10 pacientes deram entrada na emergência assintomáticos ou oligossintomáticos, não necessitando de tratamento específico. Desta forma, estes pacientes foram avaliados com relação apenas ao item 1 acima. Os demais pacientes (30 pacientes), que apresentavam sintomatologia exuberante, foram avaliados com relação aos 4 itens acima.

Os dados dos 30 pacientes selecionados foram então trabalhados e comparados com outros estudos. A caracterização do grupo pode ser observada no Capítulo Resultados e Discussão e no Anexo 4. A partir desta comparação, foi possível fazer considerações clínicas e laboratoriais, que culminaram na elaboração de um protocolo de atendimento, que visa facilitar o diagnóstico clínico destas intoxicações e nortear o tratamento inicial, diminuindo a morbi-mortalidade referente às mesmas. O protocolo pode ser observado no Anexo 5.

 
 
  Início