HomeLista de Teses >  [DA BIBLIA A PSICANALISE: SAUDE, DOENCA E MEDICINA ...]


 

Scliar, Moacyr Jaime. Da Bíblia à psicanálise: saúde, doença e medicina na cultura judaica. [Doutorado] Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 1999. 168 p.

CONCLUSÕES

Ao longo deste trabalho, buscamos examinar as concepções sobre saúde, doença e medicina na cultura judaica. Traçamos a evolução histórica das idéias a respeito, com o apoio de textos de natureza religiosa, filosófica, científica ou ficcional. Esta trajetória nos levou da época bíblica até o presente século. Tentaremos agora extrair algumas conclusões deste relato.

1. A evolução das concepções sobre saúde, doença e medicina na cultura judaica corresponde, de maneira geral, à evolução destas concepções na cultura ocidental, na qual sucedem-se, ao longo do tempo, três modelos: mágico-religioso, empírico e científico;

2. Na cultura judaica ocorrem variações destes modelos. Assim, na fase religiosa, temos uma fase teológica, ou bíblica, em que o sacerdote assume papel importante, sobretudo no diagnóstico e no encaminhamento de situações mórbidas em que a idéia de impureza está presente. O abandono do modelo religioso se faz através de uma fase teológico-filosófica em que rabinos, e depois filósofos, são figuras de influência na interpretação, na prevenção e no manejo da doença;

3. O surgimento da medicina como profissão institucionalizada e de caráter científico foi de grande importância para o judaísmo como grupo social, de vez que forneceu um mecanismo de ascensão na sociedade, ao mesmo tempo em que serviu como veículo para a introdução das transformações trazidas pela modernidade num grupo até então discriminado e isolado;

4. Nesta evolução é importante a figura de Sigmund Freud. Ele não apenas empreende uma interpretação do judaísmo à luz dos conceitos da psicanálise como a sua própria evolução científica e intelectual reproduz, em sentido inverso, a trajetória acima descrita;

5. Ao longo de toda esta evolução, relatos e textos de origens diversas, anônimos ou não, deram testemunho das transformações sociais e individuais que acompanharam todo este processo. No caso de escritores, grandes obras literárias surgiram, tendo como ponto de partida a universal relação do ser humano com o binômio saúde-doença, vista através de uma peculiar ótica; uma ótica que, alargando as fronteiras do entendimento, representa também uma fonte inesgotável de emoção estética.

 
 
  Início