HomeLista de Teses >  [ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLOGICO EM TRA...]


 

Braga, Daphne. Acidente de trabalho com material biológico em trabalhadores da equipe de enfermagem do Centro de Pesquisas Hospital Evandro Chagas. [Mestrado] Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 2000. 75 p.

Apresentação

O objeto de estudo desta dissertação de mestrado é o evento acidente de trabalho com material biológico no CPqHEC - Centro de Pesquisas Hospital Evandro Chagas, tal como acontece na realidade do trabalho hospitalar mas, também, tal como o acidente é enfocado através de uma abordagem privilegiada no Grupo de Pesquisas - Trabalho e Modos de Vida no Hospital. O grupo é constituído por pesquisadores ligados à Coordenação de Saúde do Trabalhador da Fundação Oswaldo Cruz (CST/FIOCURZ) e ao Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (CESTEH) da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/FIOCRUZ).

Assim sendo,o interesse pelo tema advém da inserção em abril de 1998, no Grupo Trabalho e Modos de Vida no Hospital. O foco central de discussão do grupo é o hospital e o trabalho hospitalar, em particular o caso do Centro de Pesquisas Hospital Evandro Chagas (CPqHEC). Coordenado pelos professores Jorge Mesquita Huet Machado e Marilena Cordeiro Dias Villela Corrêa, foram discutidos temas como: acidentes de trabalho com material biológico, subjetividade e trabalho, a produção científica no hospital e cultura hospitalar, entre outros ligados às pesquisas dos diversos membros do grupo.

Decidir um ponto de partida com vistas a encontrarmos um objeto de estudo, ou até mesmo um ator principal, foi uma tarefa extremamente difícil. Não sabíamos que categoria de trabalhadores iríamos estudar, qual o local do hospital mais indicado para as observações iniciais, enfim, perguntas e mais perguntas não paravam de surgir, enquanto pensávamos na escolha do método. A palavra metodologia parecia definir tudo e, não conseguíamos ter muita clareza do instrumental metodológico que utilizaríamos para nortear este trabalho.

O campo de estudo havia sido previamente definido pela orientadora - Centro de Pesquisas Hospital Evandro Chagas (CPqHEC) - logo, precisávamos nos aproximar deste campo, pois não tínhamos familiaridade com o mesmo. Passamos, então, a freqüentá-lo quase que diariamente. Nos apresentamos aos chefes de serviço e iniciamos um relacionamento com aqueles que ali trabalham e convivem. A direção do hospital havia nos dado carta branca para a realização da pesquisa. Todos os trabalhadores do hospital se colocaram a disposição para o que fosse necessário.

Faz-se necessário também esclarecer que realizamos alguns recortes no que se refere a escolha do grupo de trabalhadores abordado, como também o local de trabalho (posto de trabalho) onde desenvolveu-se toda a coleta de dados empíricos.

O trabalho de campo foi, então, iniciado em maio de 1998 tendo sido escolhida a área de internação para o início das observações, ainda que por outros critérios, novos locais poderiam vir a ser definidos. Ou seja, somente a real observação e a interação no CPqHEC poderiam selar ou alterar essa escolha. Tínhamos naquele primeiro momento clareza de nosso objeto: o acidente de trabalho, a orientar e analisar. Não estavam ainda definidos se todos os acidentes seriam destacados nesta pesquisa, nem se haveria ênfase sobre alguma categoria de trabalhador. Ou seja, iniciávamos aquilo que caracteriza uma observação em metodologia antropológica clássica, ou seja, uma observação do trabalhador em atividade.

Sendo assim, andar pelo hospital nos levou a conhecer o campo, os que lá trabalhavam, conversar com os enfermeiros, médicos, assistentes sociais, enfim, entrar em contato e estabelecer trocas entre nós, pesquisadores e estes profissionais do hospital. Por um período de seis semanas freqüentamos o hospital, em horários diferenciados, quando tivemos oportunidade de participar de reuniões de equipe do centro de estudos e de outros eventos promovidos pelo hospital.

O CPqHEC, embora pequeno (na época em que iniciamos a pesquisa só estavam disponíveis 12 leitos para internação, em função das reformas pelas quais o hospital passava), tem, hoje, uma enfermaria que comporta 30 pacientes. A obra da área de internação terminou cerca de dois meses após o início da pesquisa de campo.

Ainda nessa etapa inicial, a observação foi completada por uma entrevista de caráter informativo com a Dr.ª Keyla B. F. Marzochi, onde objetivamos conhecer um pouco mais sobre a história do Centro de Pesquisas Hospital Evandro Chagas. Esta entrevista foi conduzida pela Dr.ª Marilena Corrêa e mostrou-se bastante produtiva no sentido de impulsionar o trabalho de observação já que obtivemos informações sobre a história do CPqHEC, sua transformações no tempo, os tipos e a importância das doenças ali pesquisadas, a relação entre ensino, pesquisa e tratamento que caracteriza o hospital, entre outras questões.

Ao final da entrevista, a Dr.ª Keyla nos indicou a enfermeira Sueli Pereira Lages, do setor de internação do hospital. Lages estava fazendo o curso de especialização em enfermagem nas doenças infecciosas no CPqHEC e tinha escolhido para a monografia o tema de acidentes com material biológico de portadores de HIV/AIDS em trabalhadores da internação do hospital no período de 1995 a 1998.

O trabalho de Sueli Lages foi um estímulo a mais na delimitação de nosso objeto de estudo. Ficou decidido também que o local de observação dos acidentes seria a área de internação porque o grupo de trabalhadores que focalizaríamos na dissertação seria a equipe de enfermagem - enfermeiros e técnicos de enfermagem. (O CPqHEC não possui auxiliares de enfermagem). O trabalho de Lages sobre o número de acidentes com material biológico neste grupo de trabalhadores, em especial e, principalmente, a subnotificação deste tipo de acidente nos motivou a aprofundar o estudo do problema.

Dessa forma, dividimos o texto em cinco capítulos onde tentamos apresentar o acidente no ambiente hospitalar, a partir da observação do cotidiano da equipe de enfermagem do hospital escolhido como campo. No primeiro capítulo, o tema acidentes com material biológico é apresentado, de forma resumida, onde também expomos os objetivos deste trabalho. Descrevemos a população que participou do estudo e apresentamos algumas considerações teórico-metodológicas que escolhemos seguir. O segundo capítulo busca apresentar o hospital como campo de estudo. Observou-se desde a origem do hospital até o hospital contemporâneo, quando a cura e o tratamento passam a ser vistos como missão do hospital. No terceiro capítulo as contribuições das ciências sociais e da ergonomia contemporânea são abordadas, de forma a mostrar que o evento acidente necessita de uma análise interdisciplinar. No quarto capítulo buscou-se caracterizar o trabalho de enfermagem, tendo como referência o hospital escolhido como campo de estudo. No quinto capítulo, finalmente apresentamos os dados coletados a partir do formulário auto-aplicável que serviu de base para a construção do que convencionamos chamar de descrição do acidente de trabalho no hospital ou acidente típico em hospital.

 
 
  Início