HomeLista de Teses >  [MAPA DA SITUACAO DE SAUDE DO ADOLESCENTE NO MUNICI...]
 
 
 

Fundação Oswaldo Cruz
Escola Nacional de Saúde Pública

"Mapa da situação de saúde do adolescente no Município do Rio de Janeiro"
Maria Helena  Ruzany

Tese apresentada com vistas à obtenção do Título de Doutor

Orientador: Célia Landmann Szwarcwald
Data de entrega: Abril de 2000

    RESUMO
    INTRODUÇÃO
    CAPÍTULO 1 - OPORTUNIDADES PERDIDAS DA ATENÇÃO INTEGRAL AO ADOLESCENTE :RESULTADO DO ESTUDO-PILOTO
    CAPÍTULO 2 - MORTALIDADE DE ADOLESCENTES NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO - DE 1981 A 1995 :QUANTOS ÓBITOS PODERIAM SER EVITADOS?
    CAPÍTULO 3 - MAPA DA SITUAÇÃO DE SAÚDE DO ADOLESCENTE NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO
    CAPÍTULO 4 - CONSIDERAÇÕES FINAIS
    CAPÍTULO 5 - BIBLIOGRAFIA
    CAPÍTULO 6 - ESTIMATIVA DE COMPLEXIDADE E CONDIÇÕES DE EFICIÊNCIA DOS SERVIÇOS AMBULATORIAIS PARA ADOLESCENTES
    CAPÍTULO 7 - RESULTADOS ADICIONAIS DO ESTUDO SOBRE O PROSAD NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

Resumo:
Este trabalho teve como objetivo principal apreciar as condições das Unidades de Saúde (US), diante da situação atual do Programa de Saúde do Adolescente do Município do Rio de Janeiro (PROSAD) e dos problemas mais freqüentes de saúde deste grupo etário. Para atingir este objetivo, foram desenvolvidos os seguintes estudos quantitativos: 1) Estudo piloto do questionário sobre Oportunidades Perdidas desenvolvido pela Organização Pan-Americana de Saúde; 2) Mortalidade do Adolescente no Município do Rio de Janeiro - de 1981a 1995; 3) Mapa da situação de saúde do adolescente no Município do Rio de Janeiro. Como resultados do estudo piloto da avaliação de oportunidades perdidas, levantaram-se hipóteses sobre as lacunas na prestação da atenção integral a este grupo populacional. O segundo artigo constata que os elevados índices de mortalidade da população adolescente deste município estão ligados a questões que poderiam ser evitadas, entre elas os óbitos por causas externas, sobretudo os homicídios por arma de fogo, e os problemas relacionados à sexualidade, como o aumento das taxas de incidência de Aids. No terceiro artigo, o mapa temático sobre as condições de atendimento das US aponta uma distribuição inadequada das unidades em melhores condições de atendimento ao adolescente, nas áreas de maior concentração de problemas deste grupo. Conclui-se que o PROSAD precisa redimensionar seus objetivos e metas, possibilitando um impacto positivo na morbi-mortalidade deste grupo populacional. Para isso, os responsáveis pelo programa devem concentrar esforços em atividades de promoção de saúde, buscando indicadores de efetividade das ações desenvolvidas. Sugere-se ainda a vigilância permanente do atendimento a este grupo etário, evitando-se oportunidades perdidas na prestação da atenção integral.


  Início