HomeLista de Teses >  [CARACTERISTICAS SOCIODEMOGRAFICAS, COMPORTAMENTAIS...]
 
 
 

Fundação Oswaldo Cruz
Escola Nacional de Saúde Pública

"Características sóciodemográficas, comportamentais e vulnerabilidade à infecção pelo vírus da imunodeficiência humana em homens que fazem sexo com homens do "projeto Rio""
Claudia Teresa Vieira de  Souza

Tese apresentada com vistas à obtenção do Título de Doutor

Orientador: Francisco Inácio Bastos
Data de entrega: Julho de 2001

    RESUMO
    CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO
    CAPÍTULO 2 - ASPECTOS CONCEITUAIS DA VULNERABILIDADE À INFECÇÃO PELO HIV, SEGUNDO MANN & COLABORADORES
    CAPÍTULO 3 - ESTA TESE
    CAPÍTULO 4 - COLETÂNEA DE ARTIGOS
    CAPÍTULO 5 - CONSIDERAÇÕES FINAIS E RECOMENDAÇÕES
    CAPÍTULO 6 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
    ANEXO 1
    ANEXO 2
    ANEXO 3

Resumo:
O "Projeto Rio" foi uma das pesquisas de preparação para estudos fase III de vacinas anti-HIV, desenvolvido pelo Centro de Pesquisa do Hospital Evandro Chagas/FIOCRUZ. De janeiro de 1994 à julho de 1999, ingressaram 675 voluntários na coorte, segundo os critérios de elegibilidade: homens que relataram ter praticado sexo com homens nos seis meses anteriores à entrevista inicial, de 18 a 50 anos, com sorologia negativa para o HIV e que aceitaram os termos de esclarecido e informado. Avaliamos as características sociodemográficas, comportamentais e vulnerabilidade à infecção pelo HIV dos voluntários do "Projeto Rio", a partir de uma coletânea de três artigos, cujos principais resultados foram: 1) a auto-percepção de vulnerabilidade estava associada a um maior nível de escolaridade e à prática de sexo anal desprotegido; 2) 57% dos voluntários relataram o desejo de participar de ensaios de vacinas anti-HIV (DP), devido principalmente a "motivos humanitários/altruísmo" e "estar protegido contra a infecção pelo HIV". Mostraram-se associadas a DP: sorologia positiva para sífilis, "engajamento sob a influência do álcool, em prática sexual de risco que normalmente não faria" e baixo nível educacional; e 3) o sexo anal desprotegido com parceiros ocasionais se mostrou associado à menor renda, baixa escolaridade, auto-percepção de vulnerabilidade, DP, e uso de crack/cocaína. Nossos resultados mostraram que estes voluntários estão cientes da práticas de risco, pois se auto-perceberam vulneráveis à infecção pelo HIV. A questão da vulnerabilidade à infecção pelo HIV é traduzida aqui através da tríade: pobreza, baixo nível de instrução e uso de drogas, fazendo com que estes indivíduos tenham dificuldades em manter um comportamento seguro. Nossos achados reforçam a necessidade de implementar programas preventivos específicos direcionados para esta população e seus respectivos parceiros, com ênfase na questão do uso de (álcool e) drogas ilícitas, o engajamento de sexo comercial e seu vínculo com as práticas sexuais desprotegidas.


Palavras-chave:
Vulnerabilidade à Infecção pelo HIV; Homens que fazem Sexo com Homens; Desejo de Participar de ensaios de vacinas anti-HIV; Sexo comercial; Uso de drogas

  Início