HomeLista de Teses >  [DESENHOS ALTERNATIVOS DE INCORPORACAO E GESTAO DO ...]
 
 
 

Fundação Oswaldo Cruz
Escola Nacional de Saúde Pública

"Desenhos alternativos de incorporação e gestão do trabalho médico na SMS do Rio de Janeiro: as experiências dos hospitais Lourenço Jorge e Salgado Filho"
Marcia  Teixeira

Dissertação apresentada com vistas à obtenção do Título de Mestre

Orientador: Maria Helena Machado
Data de entrega: Setembro de 1999

    RESUMO
    APRESENTAÇÃO
    CAPÍTULO 1 - TENDÊNCIAS DA GESTÃO DO TRABALHO
    CAPÍTULO 2 - REFORMA DO ESTADO E GESTÃO DO TRABALHO
    CAPÍTULO 3 - PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
    CAPÍTULO 4 - CONTEXTO EMPÍRICO DO ESTUDO
    CAPÍTULO 5 - AS EXPERIÊNCIAS DOS HOSPITAIS LOURENÇO JORGE E SALGADO FILHO
    CAPÍTULO 6 - CONSIDERAÇÕES FINAIS
    CAPÍTULO 7 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
    CAPÍTULO 8 - ANEXO 1
    CAPÍTULO 9 - ANEXO 2
    CAPÍTULO 10 - ANEXO 3
    CAPÍTULO 11 - ANEXO 4
    CAPÍTULO 12 - ANEXO 5
    CAPÍTULO 13 - ANEXO 6

Resumo:
No contexto atual da formulação de políticas de RH em saúde, tem-se o grande debate em torno de propostas que possam compatibilizar diferentes formas de vinculação e gestão do trabalho com os objetivos do SUS. De um lado, os que defendem novas vias de contratação e gestão do trabalho, vêem nestas uma resposta aos pontos de estrangulamento dos serviços de saúde, causados pela falta de recursos humanos necessários a sua manutenção. De outro lado, o conjunto dessas propostas recebem críticas por estabelecerem relações precárias de emprego. Temos em curso, hoje, no município do Rio de Janeiro, novas experiências de incorporação e gestão do trabalho médico na rede hospitalar. A primeira experiência acontece no Hospital Municipal Lourenço Jorge, onde foi contratada uma cooperativa de trabalho. A segunda experiência está em desenvolvimento no Hospital Salgado Filho, que passa a mobilizar de forma diferente os funcionários estatutários que lá atuam, por meio de mudanças no sistema remuneratório. O objetivo desta dissertação foi acompanhar tais experiências, baseando-se na observação comparada de como vêm sendo formuladas e processadas as inovações de gestão do trabalho médico nos dois hospitais estudados. O trabalho de campo tomou por base o plano de análise microorganizacional e, utilizando-se metodologia qualitativa, foram feitas coletas de documentos e entrevistas com gestores e profissionais dos hospitais, identificados como atores privilegiados do processo de gestão do trabalho. A análise do material empírico focalizou alguns itens: perfil dos servidores; regime de 40 horas semanais; rodízio dos médicos entre os diferentes momentos da atenção (emergência, rotina e ambulatório); controle sobre o trabalho médico; sistema de remuneração; reposição do quadro médico e relação com a rede de serviços de saúde. A incursão empírica apontou similaridades e diferenças entre as experiências, no que concerne a busca de respostas aos problemas que afetam a gestão do trabalho no SUS. E, em relação às características observadas, traçamos um resumo das principais marcas encontradas.


Palavras-chave:
Recursos Humanos em Saúde; Gestão de Recursos Humanos; Flexibilização do trabalho

  Início