HomeLista de Teses >  [PREVALENCIA DE LINFEDEMA SUBSEQUENTE A TRATAMENTO ...]
 
 
 

Fundação Oswaldo Cruz
Escola Nacional de Saúde Pública

"Prevalência de linfedema subsequente a tratamento cirúrgico para câncer de mama no Rio de Janeiro"
Anke  Bergmann

Dissertação apresentada com vistas à obtenção do Título de Mestre

Orientador: Inês Echenique Mattos
Data de entrega: Dezembro de 2000

    RESUMO
    CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO
    CAPÍTULO 2 - CÂNCER DE MAMA
    CAPÍTULO 3 - SISTEMA LINFÁTICO
    CAPÍTULO 4 - LINFEDEMA
    CAPÍTULO 5 - JUSTIFICATIVA
    CAPÍTULO 6 - OBJETIVOS
    CAPÍTULO 7 - METODOLOGIA
    CAPÍTULO 8 - RESULTADOS
    CAPÍTULO 9 - DISCUSSÃO
    CAPÍTULO 10 - ANEXO 1 - FICHA DE IDENTIFICAÇÃO E PREENCHIMENTO DE CRITÉRIOS DE INCLUSÃO
    CAPÍTULO 11 - ANEXO 2 - CONSENTIMENTO INFORMADO
    CAPÍTULO 12 - ANEXO 3 - COLETA DE DADOS DE PRONTUÁRIOS (RECUSAS)
    CAPÍTULO 13 - ANEXO 4 - APROVAÇÃO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA CEP - INCA
    CAPÍTULO 14 - ANEXO 5 - APROVAÇÃO DO COMITÊ DE ÉTICA DA FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ
    CAPÍTULO 15 - ANEXO 6 - ENTREVISTA
    CAPÍTULO 16 - ANEXO 7 - EXAME FÍSICO
    CAPÍTULO 17 - ANEXO 8 - COLETA DE DADOS DO PRONTUÁRIO (INCLUSAS)
    CAPÍTULO 18 - ANEXO 9 - CLASSIFICAÇÃO DO ÍNDICE DE MASSA CORPORAL
    CAPÍTULO 19 - BIBLIOGRAFIA

Resumo:
Introdução: O linfedema é a principal complicação decorrente do tratamento cirúrgico para câncer de mama, acarretando importantes alterações físicas, psicológicas e sociais, que comprometem a qualidade de vida das mulheres. Objetivo: Estimar a prevalência de linfedema em mulheres submetidas a tratamento cirúrgico para câncer de mama. Metodologia: Foi realizado um estudo seccional com 394 mulheres em acompanhamento médico no Hospital Luiza Gomes de Lemos / INCa III, no período de abril a agosto de 2000. Os dados foram obtidos através de uma entrevista semi-estruturada, exame físico e complementados pela análise do prontuário. Foram coletadas variáveis relacionadas a características: da paciente, do tratamento realizado, do tumor, e das complicações pós-operatórias. Resultados: A prevalência de linfedema variou de 16,2 % a 30,7 % dependendo do critério utilizado para diagnóstico. Os critérios de diagnóstico objetivos apresentaram melhor confiabilidade. Na análise bivariada, as variáveis que se mostraram positivamente associadas (p<0,05) com o linfedema foram: IMC, número total de dias com dreno, radioterapia, radioterapia axilar, comprometimento ganglionar, estadiamento tumoral, relato de sintomatologias sugestivas de edema precoce, relato de edema precoce, infecção no membro superior homolateral ao câncer de mama, limitação no movimento de alcance global da mobilidade, e limitação articular no movimento de abdução e rotação externa. Conclusões: A prevalência de linfedema obtida neste estudo foi elevada, estando de acordo com a literatura. A perimetria ou o volume estimado do membro foram os critérios que apresentaram melhor confiabilidade. Estudos prospectivos são necessários para que se possa estabelecer os fatores de risco mais relevantes na etiologia do linfedema.


Palavras-chave:
Linfedema; câncer de mama; complicações; estudo seccional; prevalência

  Início