HomeLista de Teses >  [LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: USO DE TECNICAS...]
 
 
 

Fundação Oswaldo Cruz
Escola Nacional de Saúde Pública

"Leishmaniose tegumentar americana: uso de técnicas da biologia molecular no diagnóstico de infecção de roedores de coleção do Museu Nacional - UFRJ"
Ligia Maria Cantarino da  Costa

Dissertação apresentada com vistas à obtenção do Título de Mestre

Orientador: ADAUTO JOSÉ GONÇALVES DE ARAÚJO
Data de entrega: Abril de 1998

    RESUMO
    CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO
    CAPÍTULO 2 - MATERIAIS E MÉTODOS
    CAPÍTULO 3 - RESULTADOS
    CAPÍTULO 4 - DISCUSSÃO
    CAPÍTULO 5 - PERSPECTIVAS
    CAPÍTULO 6 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Resumo:
Durante os anos 50, houve uma epidemia de peste bubônica no Brasil. Em busca do reservatório, cerca de 60.000 roedores foram coletados, examinados e taxidermizados. Todos os animais foram arquivados no Museu Nacional do Rio de Janeiro. Como muitos roedores eram de áreas onde a leishmaniose e a peste eram concomitantes, decidimos investigar se esses animais poderiam ser reservatório de Leishmania. Examinamos um total de 20 animais de Baturité, Ceará, e 19 da Ilha Grande, Rio de Janeiro. Essas duas áreas foram escolhidas por terem história de leishmaniose epidemiologicamente bem estudada. Fragmentos de pele de 1mm³ foram coletados de orelha, cauda e pés de cada animal. Fragmentos de lesão cutânea, presente em três roedores, também foram coletados. O DNA genômico foi isolado, usando-se um kit para isolamento de DNA tecidual. Oligonucleotídeos que se associam à origem de replicação das duas fitas das moléculas de minicírculo foram usados em hot start PCR, amplificando a região conservada do minicírculo de kDNA. Os produtos amplificados foram analisados pela eletroforese em gel de agarose corado pelo brometo de etídio e visualizados sob luz UV. Todos os produtos foram aplicados em membrana de nylon usando-se aparelho de dot blot e hibridizados com sonda de L. braziliensis M2903 e L. amazonensis L575. Pela PCR, Leishmania amazonensis foi encontrada na orelha de dois animais, um Oryzomys subflavus e um Thrichomys apereoides. A hibridação com sonda de L. braziliensis foi negativa em todos os casos. Ambos os roedores positivos eram de Baturité. A infecção por L. amazonensis é, primariamente, uma zoonose, e pode ser encontrada em grande variedade de hospedeiros entre animais silvestres, inclusive roedores, marsupiais e raposas. Este estudo indica a viabilidade de reconstruir a história das leishmanioses pela PCR, o que pode favorecer o entendimento dos eventos históricos que influenciaram a leishmaniose tegumentar americana no Brasil.


  Início